O Banpará, visando garantir a aderência às leis, regulamentos, códigos de conduta e normas vigentes, e adotar as melhores práticas de Gerenciamento de Riscos, Controles e Compliance, em consonância com as recomendações de Basileia, Lei 9.613/98 e Resoluções nºs 2.554/98, 3.380/06, 3.464/07, 3.721/09, 3.988/11 e 4.090/12, criou a Superintendência de Controles e Gerenciamento de Riscos - SUCOR, unidade responsável pelo Gerenciamento dos Riscos Corporativos do Banco, Controles internos, Compliance e Prevenção à Lavagem de Dinheiro, vinculada à Diretoria de Controladoria e Planejamento e Relação com Investidores - DICOP.

Gerenciamento de Riscos

O Banpará define risco como sendo qualquer situação que pode afetar a capacidade da empresa de atingir seus objetivos.

O gerenciamento de riscos corporativos do Banpará, no nível metodológico, associa as recomendações de Basileia , melhores práticas adotadas pela indústria financeira e normas internas e externas que objetivam gerar informações sistematizadas que servirão de base à identificação, avaliação, mensuração, mitigação e monitoração dos diversos riscos organizacionais.

Para que a informação oriunda da área responsável pelo gerenciamento de riscos alcance a amplitude devida, bem como as ações mitigadoras sejam implementadas de forma tempestiva, são disponibilizados aos membros da alta administração e aos comitês constituídos, relatórios produzidos semanalmente, semestralmente, anualmente ou extraordinariamente em situação de exposições potenciais a riscos que necessitem de correções imediatas.

O Banpará vem constantemente aprimorando o gerenciamento de seus riscos corporativos, de forma integrada, permitindo que atinja seus objetivos mediante nível aceitável de exposição a riscos, sem comprometer o bom desempenho dos negócios.

Controles Internos e de Compliance

O Banpará define Controles Internos como sendo um processo, conduzido pela diretoria, gerência e funcionários, estruturado para assegurar os seguintes objetivos:

  • Efetividade e eficiência das operações;
  • Confiabilidade dos relatórios financeiros;
  • Cumprimento das normas e regulamentos.

O Sistema de Controles Internos do Banco está segmentado tomando por critério os principais elementos inter-relacionados do COSO - The Committee of Sponsoring Organizations, quais sejam:

  • Ambiente de Controles;
  • Avaliação e Gerenciamento dos Riscos;
  • Atividades de Controles;
  • Informação e Comunicação;
  • Monitoramento.

O Banco utiliza a metodologia de controles e riscos CRSA - Control and Risk Self Assessment, que contempla a avaliação dos riscos e ameaças aos objetivos de negócios; identificação das fragilidades e riscos residuais e o aprimoramento dos controles.

Prevenção à lavagem de dinheiro

Aderente à legislação e normas pertinentes a Prevenção à Lavagem de Dinheiro, o Banco possui políticas, procedimentos internos, ferramentas, organização e treinamentos adequados, que permitem a monitoração e identificação eficazes de operações atípicas sem justificativas plausíveis e minimizam os riscos de utilização de seus produtos e serviços na prática de atividades ilícitas.

Relatório de Gerenciamento de Riscos

2016

2015

2014 

2013

2012

2011

2010 - 2008